Perguntas mais Frequentes em PET 2

Produtos TECSA Divisão PET


Kit Vetcheck Dermatófitos:

1. Estou com dificuldade em identificar a qual tipo de fundo a colônia formada pertence. Como devo proceder?

Recomendamos o envio do frasco contendo a colônia ao laboratório para identificação do agente através da solicitação do exame COD 760, o qual permite a identificação do fundo e ainda inclui o teste de sensibilidade a antimicrobianos (antifungigrama), uma vez que o microrganismo isolado, mesmo que não seja dermatófito ou agente etiológico, pode estar atuando como oportunista ao processo primário, podendo então a terapia adjuvante ser instituída.


2. Caso não haja crescimento de colônia característica e permanecerem sintomas e lesões típicas, significa que o teste falhou, que não seria lesão fúngica? O que fazer?


Ainda que clinicamente as lesões sejam características de dermatófitos e revelem um cultivo negativo após 14 dias, pode não se descartar a possibilidade de dermatofitose. Deve-se sempre atentar para variações pré-analíticas como a utilização de campus, pomadas, cremes e sprays contendo agentes anti-sépticos ou antimicrobianos que tenham efeito residual, comprometendo assim a qualidade da amostra colhida. Dessa maneira, sugere-se nova coleta e novo cultivo. Lembrando que para qualquer diagnóstico complementar nem sempre é possível confirmar a suspeita clínica numa tentativa apenas.

Além disto, é indicado sempre atentar para a necessidade de realizar exames para o fechamento de diagnóstico diferencial, tais como: TEste Alérgico Painel c 24 alérgenos (código 686), Teste Alérgico Painel c/ 36 alérgenos (código 685), exames hormonais, tais como o T4 Livre (código 626), T3 Total (código 66) e a Dosagem de Insulina (código 72).


3. O teste detecta Sporotrix schenkii? Sevcreções de lesões podem ser utilizadas no teste?

O meio de cultura presente no kit permite o crescimento de S. schenkii. As amostras de secreções devem ser coletadas com swabs estéreis, realizando-se leve escarificação da área lesionada e posteriormente o swab deve ser "rolado" em zig-zag no meio. Lembra-se ainda que o Sporotrix schenckii é um fungo dimórfico, saprofíticos presente em solo e vegetação, e apresenta-se sob a forma micelial em temperaturas entre 22 e 28C e levedurifome em 35 e 37C. Para a confirmação do isolamento, o frasco contendo a colônia formada deve ser remetido ao TECSA para a identificação do agente.


4. Na bula há descrição do procedimento abordando a incubação do material preparado em temperatura ambiente. Haveria alguma forma de acelerar o crescimento? EM regiões com umidade relativa do ar e temperatura diferentes (por exemplo, região Sul do Brasil) o teste demora mais a fornecer o resultado?

Não há necessidade. O teste, indepedente das oscilações climáticas/sazonais, fornece resultados fidedignos em até 14 dias, sendo a faixa de temperatura para crescimento entre 21 e 25ºC.


Kit Tipagem Sanguínea:

1. Quais os tipos de amostras de sangue que podem ser testadas no ensaio?

Vários tipos de amostras podem ser utilizadas nos ensaios. Amostras coletadas na presença de anticoagulantes como EDTDA, CPD-A, ACD-B, ACD-A (presentes em bolsas de transfusão), heparina ou sangue de cordão umbilical podem ser utilizadas.


2. Porque um felino, sangue tipo AB, pode receber somente sangue de doadores AB e "papa de mácias" de doadores do tipo A e não do tipo B?

Segundo a literatura, gatos de tipo sanguíeno AB, que constituem menos de 1% da população mundial de felinos, podem expressar baixos títulos detectáveis de aloanticorpos anti-B e títulos não detectáveis de aloanticorpos anti-A. Ou seja, animais do tipo AB podem receber "papa de hemácias" de um animal tipo A, proém não podem receber "papa de hemácias" do tipo B, pois produzem anticorpos contra antígenos externos presentes em hemácias que não são produzidas em seu organismo.


3. Caso o paciente canino apresente outros tipo de antígenos de superfície, o teste vai acusar? O kit detecta anticorpos específicos?

Não. O kit detecta apenas a presença do tipo DEA 1.1, que é o antígeno de superfície mais comum e antigênico, o qual pode gerar problemas transfusionais mais severos. Não, o teste não detecta anticorpos no soro, mas sim antígenos de superfície presentes na superfície das hemácias.

 

Páginas: 1 | 2 | 3 | 4

Unidade Matriz
Av. do Contorno , 6226 - Savassi
30.110-042 - Belo Horizonte- MG/Brasil
PABX: (31) 3281-0500
Email: sac@tecsa.com.br
Horário Atendimento Tecsa
Cadastre-se para
Receber Novidades
Receba as novidades do TECSA
Facebook