Relato de Caso:

Relato de Caso:
 

 Cid Bastos Fóscolo e Luiz Eduardo Ristow
Méd. Veterinário do TECSA Labs

Descrição da granja

Uma granja de exploração comercial e ciclo completo possui 900 matrizes e faz parte de um grupo comercial que viu na suinocultura uma boa oportunidade de obter lucro. O desenvolvimento da granja foi rápido, trabalhando-se com uma grande densidade de animais (em todas as fases, inclusive na creche), não permitindo um vazio sanitário adequado, e sempre necessitando de novas construções ou adaptações. Tem ocorrido um aumento no índice de mortalidade em animais jovens, principalmente na fase de creche. A granja já conviveu com problemas respiratórios de Rinite Atrófica e Mycoplasma, sendo hoje o problema aparentemente controlado com vacinação. A localização da granja é estratégica, cercada de eucaliptos e longe de outras granjas. A entrada é restrita a funcionários, que trocam de roupa e tomam banho para entrar na granja. Os veículos, para entrar na granja, passam por chuveiro de aspersão com solução desinfetante. Utiliza-se desmama de 21 dias, sendo os leitões uniformizados tanto na maternidade quanto na creche. Há um mês, as paredes da creche, que antes eram fechadas, foram abertas com a implantação do uso de cortinas. As creches são suspensas com piso ripado.

Aparecimento do caso

O gerente da granja, em sua inspeção pela manhã, observa na creche leitões mortos, aparentemente sadios e com boa condição corporal. Ele continua a inspeção em outra sala e observa mais leitões mortos com as mesmas características. O gerente procura saber alguma informação dos funcionários e constata que não houve nenhuma mudança de manejo. Os leitões mortos estavam entre os mais pesados da baia.

Um funcionário que trabalhava na recria e hoje na creche menciona que viu coisa parecida na recria a 2 meses. Três animais sadios e pesados (76 dias) morreram, mas esses apresentavam “convulsões”. Não aplicou nada e as mortes cessaram.

O gerente recomenda extrema atenção com os animais na creche e verifica que não houve nenhum problema no fornecimento de água e ração, sendo essa a mesma fornecida anteriormente.

No outro dia pela manhã em nova inspeção o gerente observa um total de 15 animais mortos com as mesma características. Resolve então necropsiar alguns e não observa nenhuma lesão característica, apenas um animal com um pouco de líquido espumoso no pulmão.

O gerente resolve chamar o veterinário.

Primeira visita à granja

Ao chegar à granja, o veterinário, observando os índices zootécnicos, nota uma queda no ganho de peso diário significante, na fase de creche. Essa queda vem ocorrendo lentamente há três meses.

Acompanhado do gerente ele entra na creche, repara a alta densidade de animais e observa dois animais de boa condição corporal apáticos no canto da baia. Pede para separar esses animais e deixá-los em observação. Em outra sala nota três animais com dispneia. Resolve então fazer necropsia de um animal.

Além do edema pulmonar, observa aumento de líquido claro na cavidade peritoneal. Nota também o estômago cheio de alimento e o mesentério do intestino grosso edemaciado. Os rins apresentam congestão medular. O encéfalo apresenta uma discreta congestão dos vasos.

Pela tarde um dos animais apáticos separados começa apresentar tremores e cai com movimentos de pedalagem.

Medidas

O veterinário resolve então enviar dois animais com dispneia para exames laboratoriais.

Indica-se tratamento via ração com enrofloxacina para os leitões da creche por sete dias consecutivos. Em caso de animais com sintomas dispneia, apatia, pedalando, com tremores ou outros sintomas nervosos, aplicar enrofloxacina parenteral.
Ele alerta para uma maior atenção quanto a desinfeção e limpeza da baia, que dever ser mais intensa. Procurar fazer um manejo de cortinas adequado evitando o frio, correntes de ar e excesso de umidade.

Segunda visita à granja

A visita ocorre uma semana depois. Observa-se que o uso da medicação cessou a mortalidade, porém no dia da visita apareceram dois leitões de 72 dias (recria) mortos. Esses leitões apresentaram tremores e convulsões no dia anterior. Aplicou-se enrofloxacina nesses leitões no início dos sintomas.
O veterinário de posse dos resultados dos exames laboratoriais (em anexo) explica o caso ao gerente.

Conclusão

Ficou comprovado através dos resultados laboratoriais, dos achados epidemiológicos e clínicos que o problema na granja estava relacionado com a presença de Escherichia coli, causadora da Doença do Edema.

A Doença do Edema é uma enfermidade que acomete leitões de várias faixas etárias. Apresenta sinais clínicos que vão desde o aparecimento de problemas entéricos até neurológicos devido à produção de toxinas, podendo ser muitas vezes confundida com Encefalite por Streptococcus suis, dentre outras patologias que causam sintomatologia nervosa.

São fatores de risco para Doença do Edema: troca de ração, alto teor de proteína de difícil digestão na ração, queda na imunidade, lotação excessiva, exposição ao frio ou variações térmicas diárias muito amplas, excesso de umidade, uso de creche em sistema contínuo e higiene precária.

A prevenção da Doença do Edema é baseada principalmente em medidas de manejo para minimizar o risco da instalação e multiplicação das bactérias produtoras de toxinas em nível intestinal. As medidas preconizadas são: redução do estresse ambiental, povoamento com densidade adequada, adoção de medidas de “all in, all out” (todos dentro, todos fora), limpeza prévia e lavagem com detergentes, desinfecção efetiva com produtos em dosagem adequada e vazio sanitário de no mínimo três dias e uso de medicação através da ração com antibióticos que demonstraram-se eficazes através do antibiograma. Foram feitas estas recomendações ao gerente da granja e se contatou o nutricionista responsável pela nutrição com intuito de verificar a inclusão de promotores de crescimento que contemplassem o controle da bactéria em questão.
 

Análises microbiológicas do cérebro

Pesquisa de: Streptococcus sp

                      Haemophyllus parasuis


Resultado: Após semeados nos meios habituais de cultivo a amostra de cérebro coletada no laboratório não apresentou crescimento de microrganismos patogênicos.

 

Análises microbiológicas de sistema intestinal

Pesquisa de: Clostridium sp                         Salmonella sp
                         Escherichia coli

Resultado: Presença de Escherichia coli hemolítica entero-hemorrágica nas amostras de intestino e linfonodo mesentérico coletadas no laboratório.

ANTIBIOGRAMA

Teste de Sensibilidade Antimicrobiano

Antibiótico

Escherichia coli
Intestino e linfonodo

Amoxicilina (30mcg) Resistente 0mm
Ampicilina + Colistina (45mcg) Resistente 11mm
Ceftiofur (30mcg) Sensível 25mm
Cotrimazina  + Espiramicina (100 + 25mcg) Intermediário 13mm
Doxacilina (30mcg) Resistente 0mm
Enrofloxacina (5 mcg) Sensível 25mm
Espiramicina + Lincomicina (100 + 9mcg) Resistente 10mm
Espiramicina (100mcg) Resistente 0mm
Florfenicol (30mcg) Sensível 21mm
Flumequina (30mcg) Sensível 25mm
Gentamicina (10mcg) Sensível 20mm
Josamicina (150mcg) Resistente 0mm
Josamicina + Trimetoprim (160mcg) Resistente 0mm
Norfloxacina (10 mcg) Intermediário 13mm
Oxitetraciclina + Colistina (45mcg) Intermediário 12mm
Tilmicosina (15 mcg) Resistente 0mm
Trimetoprim + Sulfa (30mcg) Sensível 16mm
Penicilina G (2 UL) Resistente 0mm


ANÁLISE MACROSCÓPICA (NECROPSIA) DE PULMÃO

Animal Apical dir. Cardíaco dir. Diafrag. Dir. Apical  esq. Cardíaco esq. Diafrag. Esq. Intermediário Total %
01 0,0 1,4 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 1,4
02 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0


ANÁLISE MACROSCÓPICA (NECROPSIA) DE FOCINHO

Classificação macroscópica dos graus de atrofia dos cornetos segundo EMBRAPA/CNPSA-CT 93-Jul.95.

Animal

Score de Focinho

01

0
02 0


Interpretação Score de Focinho Segundo EMBRAPA - CNPSA
 

Índice Médio do Rebanho

Classificação do Rebanho

0   a   0,30

Livres ou com Nível insignificante da Doença

0,31  a   0,45 Levemente Afetados
0,46 a   3,0 Moderada a severamente Afetados

 

ANÁLISE  MICROBIOLÓGICA  DE  SISTEMA  RESPIRATÓRIO

Pesquisa de: Pasteurella multocida                     Bordetella bronchisseptica
                         Haemophyllus parasuis                  Actinobacillus pleuropneumoniae

Resultado: Presença de Bordetella bronchisseptica na amostra de focinho coletada no laboratório.


ANTIBIOGRAMA

Teste de Sensibilidade Antimicrobiano

 

Antibiótico

Bordetella bronchisseptica
Focinho

Amoxicilina (30mcg) Resistente 10mm
Ampicilina + Colistina (45mcg) Resistente 11mm
Ceftiofur (30mcg) Sensível 20mm
Cotrimazina  + Espiramicina (100 + 25mcg) Resistente 10mm
Doxacilina (30mcg) Intermediário 0mm
Enrofloxacina (5 mcg) Sensível 15mm
Espiramicina + Lincomicina (100 + 50mcg) Resistente 20mm
Espiramicina (100mcg) Resistente 0mm
Florfenicol (30mcg) Resistente 0mm
Flumequina (30mcg) Sensível 11mm
Gentamicina (10mcg) Sensível 25mm
Josamicina (150mcg) Resistente 20mm
Josamicina + Trimetoprim (160mcg) Resistente 0mm
Norfloxacina (10 mcg) Intermediário 0mm
Oxitetraciclina + Colistina (45mcg) Resistente 12mm
Tilmicosina (15 mcg) Resistente 0mm
Trimetoprim + Sulfa (25mcg) Resistente 0mm
Penicilina G (2 UL) Resistente 0mm


HISTOPATOLOGIA

MACROSCOPIA:
Porção de cérebro medindo 5,0 x 3,0 x 2,5 cm.

MICROSCOPIA: Cortes de cérebro apresentando congestão meníngea e edema. Ausência de sinais de meningite ou encefalite.

CONCLUSÃO: Ausência de sinais de meningite ou encefalite.

1 INSPEÇÃO EXTERNA

Animal em bom estado corporal

2 CAVIDADE TORÁCICA
Pulmão – Presença de edema pulmonar.
Coração – Presença de líquido na cavidade pericárdica, aproximadamente 10 ml (hidropericárdio).
Demais órgãos – Aumento de líquido claro na cavidade torácica, aproximadamente 80ml (hidrotoráx).

3 CAVIDADE ABDOMINAL
Fígado – Aparentemente sem nenhuma alteração macroscópica.
Sistema GastroIntestinal – Presença de edema gelatinoso na submucosa do estômago, ao longo da curvatura maior. Congestão de vasos mesentéricos.
Baço – Aparentemente sem nenhuma alteração macroscópica.
Rins – Aparentemente sem nenhuma alteração macroscópica.
Demais órgãos – Aumento de líquido claro na cavidade abominal, aproximadamente 100ml.

4 CABEÇA
Congestão e edema cerebral discreto.

COMPILADO DAS ANÁLISES LABORATORIAIS

Principais achados de Necropsia:


Presença de edema pulmonar e líquido no tórax e cavidade abdominal. No sistema gastrointestinal, presença de edema gelatinoso na submucosa do estômago, ao longo da curvatura maior e congestão de vasos mesentéricos.

Principais achados das análises microbiológicas:

Ausência de agentes bacterianos no cérebro, presença de Bordetella bronchiseptica no focinho e presença de Escherichia coli hemolítica enterohemorrágica no intestino e linfonodos mesentéricos (ambas bactérias sensíveis a enrofloxacina).

Principais achados histopatológicos:

Cortes de cérebro apresentando congestão meníngea e edema. Ausência de sinais de meningite ou encefalite.

Unidade Matriz
Av. do Contorno , 6226 - Savassi
30.110-042 - Belo Horizonte- MG/Brasil
PABX: (31) 3281-0500
Email: sac@tecsa.com.br
Horário Atendimento Tecsa
Cadastre-se para
Receber Novidades
Receba as novidades do TECSA
Facebook