Relato de Caso: Falha de medicação na via de administração

Relato de Caso:
Falha de medicação na via de administração
 

Descrição da granja

O caso a ser descrito ocorreu numa granja de suínos de ciclo completo com um plantel de 450 matrizes. As instalações, construídas há pouco mais de cinco anos, não sofrem manutenção há dois anos, sendo observado ao caminhar pela granja bebedouros desregulados, comedouros e pisos quebrados na creche e recria. Quanto às condições ambientais, amplitudes térmicas acima de 8ºC são comuns na região, sendo a temperatura das instalações de maternidade e creche controladas diariamente através de piso aquecido na maternidade, forros de teto e cortinas na creche. A limpeza das instalações é realizada com sabão detergente e desinfetantes, mas o rodízio destes produtos não é realizado há mais de um ano.

O sistema all-in all-out é realizado sempre que possível, mas muitas vezes baias de leitões de idades avançadas e baixo peso permanecem na creche por mais alguns misturados com leitões recém desmamados, o que impossibilita vazio sanitário correto das instalações.

O esquema de imunização dos animais é constituído de vacinas reprodutivas (parvovirose, leptospirose e erisipela), os leitões são vacinados contra Mycoplasma hypneumoniae e há pouco tempo foi introduzida a vacinação contra Haemophilus parasuis, recomendada sem exames laboratoriais.

Anamnese

O objetivo da visita foi de investigar a ocorrência de mortes súbitas na creche relatada pelo proprietário. Segundo o gerente, as mortes ocorrem a partir de 55 dias de vida, possuindo característica recidivante (ondas de mortalidade altas seguidas de baixas mortalidades) sem motivos aparentes. Os leitões demonstram os sintomas e morrem no prazo de 12 horas; cerca de 300 animais morreram nos últimos três meses.

Há um ano e meio, quando foram observados os primeiros focos de leitões mortos, as rações de creche e terminação passaram a ser medicadas. Deste período em diante, na tentativa de diminuir a incidência dos sintomas, vários tipos de antibióticos foram adicionados às rações sem proporcionar bons resultados.

Durante a visita realizada foram observados vários sinais clínicos em animais de creche e recria. Os leitões apresentam febre alta, anorexia, sintomas respiratórios (espirros e tosses), problemas neurológicos (pedalagem, opistótomo, andar cambaleante e andar em círculos), edema de pálpebra, vômitos, fezes amolecidas.

Além do exame clínico dos animais na granja, auditoria das instalações e manejo e entrevista com os funcionários internos, é de boa conduta técnica visitar a produção das rações, já que estas são o veículo para a medicação. Ao visitar a fábrica de ração, foi observado que a colocação dos ingredientes no misturador não possuía uma ordem pré-determinada e a informalidade na condução da produção da ração levantaram dúvidas sobre a mistura, sugerindo a possibilidade de má distribuição dos insumos e medicamentos na ração. Diante desta suspeita foi indicada a avaliação das rações disponíveis e programada a realização de um Teste da Mistura, no qual amostras são coletadas durante a produção da ração sob determinados períodos de tempo, objetivando avaliar o grau de uniformidade da mistura em função do tempo de mistura.

De acordo com os sintomas clínicos observados nos animais, suspeitas de Doença do Edema associada a estreptococose resistente a antibioticoterapia foram levantadas. Então dois leitões de creche e dois de recria, que apresentavam sinais clínicos avançados, foram sacrificados e enviados para laboratório.

Resultados dos exames laboratoriais

Necrópsia

1 INSPEÇÃO EXTERNA

Aparentemente sem nenhuma alteração macroscópica.

2 CAVIDADE TORÁCICA

Pulmão – Apresentava-se com pontos hemorrágicos por todo seu parênquima e presença de hepatização no lobo apical direito (10%).
Coração – Aparentemente sem nenhuma alteração macroscópica.
Demais órgãos – Aparentemente sem nenhuma alteração macroscópica.

3 CAVIDADE ABDOMINAL

Fígado – Aparentemente sem nenhuma alteração macroscópica.
Sistema Intestinal – Alça intestinal com conteúdo mucoso de coloração brancacenta e linfonodo mesentérico reativo.
Baço – Aparentemente sem nenhuma alteração macroscópica.
Rins – Aparentemente sem nenhuma alteração macroscópica.
Demais órgãos – Aparentemente sem nenhuma alteração macroscópica.

4 CABEÇA

Aparentemente sem nenhuma alteração macroscópica.

5 Observações:

Foram coletados swabs de pulmão, tonsilas e fragmento de alça intestinal e linfonodo mesentérico para análise microbiológica

 

Análises microbiológicas

  • Cérebro: presença de Streptococcus suis  (animais de recria)

  • Tonsilas: presença de Streptococcus suis  (animais de creche e recria)

  • Sistema respiratório: presença de Pasteurella multocida do grupo A (animais de recria)

  • Intestino: presença de Echerichia coli entero-hemorrágica e Clostridium (animais de recria)

 

Exame anatomopatológico

EXAME MACROSCÓPICO

A olho nu pouco pode-se perceber apenas a congestão e sugestiva opacidade da meninge. Porções de tecido cerebral medindo em conjunto 6,0 x 6,0 x 2,0 cm, parcialmente recobertos por meninge opacificada foram colhidas.

 

Exame anatomopatológico

EXAME MICROSCÓPICO

Cortes histológicos em diferentes níveis do parênquima cerebral mostram meninges dissociadas por denso exsudato de neutrófilos e depósitos de fibrina. Os vasos estão acentuadamente dilatados e congestos. O parênquima cerebral não mostra particularidades.

Conclusão: Meningite Aguda Piogênica

 

 

Análises Bromatológicas das rações

As rações presentes e disponíveis na granja submetidas a análises apresentavam-se com níveis de nutrientes diferentes dos preconizados pela empresa de nutrição fornecedora de premix. O Teste da Mistura realizado a seguir identificou que sérios problemas de mistura estavam ocorrendo e que sugeriam que as rações até então produzidas deviam estar desbalanceadas, inclusive nos aditivos tais como antibióticos.


Conclusões de Discussão

De posse dos exames laboratoriais e a anamnese da granja podemos observar que foram isolados vários agentes infecciosos que ocasionaram os sintomas clínicos observados. As amostras de bactérias isoladas apresentavam extensa resistência aos antibióticos, inclusive aos antibióticos em uso no momento da Auditoria Sanitária.

A administração de antibióticos via ração é uma alternativa prática e econômica de medicar um grande números de animais ao mesmo tempo, bem como é uma excelente opção técnica de controle de doenças antes da sua instalação através da Metafilaxia (Medicação pulsativa ou Choques). Mas quando o tratamento medicamentoso via ração é utilizado indiscriminadamente, sem seguir as regras técnicas de preparação de rações e sem a realização prévia de antibiogramas, pode ocasionar o agravo das infecções ao proporcionar resistência microbiana. Assim, se torna importante organizar a preparação das rações medicadas, de modo que a distribuição homogênea dos medicamentos torne possível que todos os animais recebam praticamente a mesma dosagem ao ingerir a ração.

Com os dados levantados nas análises de rações percebemos que a má mistura e consequente má distribuição e subdosagem nos animais que consumiam estas rações ocasionaram o constante aparecimento de cepas bacterianas resistentes. O caráter recidivante das mortes é resultado de resistência dos microorganismos aos antibióticos utilizados nas rações sem realizar antibiogramas.

Desta experiência a campo colhemos importantes aprendizados que ressaltamos:

  1. A importância de se dispensar atenção e cuidados técnicos nas recomendações e medicações implementadas em granjas. Antibioicoterapia é um trabalho a ser tratado com extrema seriedade devido ao seu custo, importância do sucesso para amenizar as perdas e pela possibilidade constante de cepas resistentes tão impactantes na sanidade animal como na saúde pública. A sua prescrição deve ser baseada em antibiogramas sempre.
  2. A importância de atentar para todos elementos da cadeia de produção, principalmente a fábrica de ração onde, assim como em qualquer outro setor da granja, os procedimentos básicos devem ser determinados, treinados e disponíveis através de manual para que, em caso de dúvida, o funcionário possa consultar e tomar a decisão correta.
  3. A necessidade de atenção aos recursos humanos das granjas, desde seleção de acordo com o perfil necessário para o cargo, como a capacitação contínua da mão de obra para que esta execute bem seu trabalho e auxilie na identificação de possíveis falhas.
Unidade Matriz
Av. do Contorno , 6226 - Savassi
30.110-042 - Belo Horizonte- MG/Brasil
PABX: (31) 3281-0500
Email: sac@tecsa.com.br
Horário Atendimento Tecsa
Cadastre-se para
Receber Novidades
Receba as novidades do TECSA
Facebook